Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Fios de luz sobre vós

por Círculo do Graal, em 09.05.15

Dissertação para leitura no próximo domingo (9.00 h - 10.00 h, TMG Lisboa)

 

Juntai as dissertações que vos dei a respeito do enteal e do ambiente mais próximo dos seres humanos terrenos, nas quais falei do ondular e tecer que vos rodeiam constantemente, e procurai observar as ditas dissertações em conjunto, como um só quadro.

Absolutamente não é tão difícil assim. De maneira rápida e fácil podereis reconhecer nisso as conexões que aí existem entre si e com vós próprios. Colocai, como num jogo de armar, tudo em movimento, através de vossa capacidade de imaginação; primeiro nos efeitos isolados em diversas direções, um após o outro, e por fim agindo conjuntamente um dentro do outro; e vereis como com o tempo o quadro se desenrolará de modo vivo perante vós.

Procurai ver então como todo e qualquer pensamento e querer mau corre como sombra através do tecer, turvando com maior ou menor intensidade as áreas claras e destruindo aqui e acolá a beleza, ao passo que todo puro e bom pensamento ou querer atravessa iluminando os fios, espalhando beleza e brilho ao longo dos caminhos percorridos.

 

Tal mecanismo tornar-se-vos-á tão familiar, que constituirá para vós um apoio, fazendo-vos pensar, querer e, finalmente, também fazer apenas o bem.

Não poupeis esforços para tanto, pois disso vos advirá rica recompensa, que ninguém poderá diminuir. E quando afinal tiverdes o quadro em movimento diante de vós, acrescentai-lhe então ainda algo que lhe dê remate e moldura condigna do quadro.

Imaginai no lugar do teto fios luminosos e delicados que pendem como um fino e transparente véu acima do “tecer ao vosso redor” e do qual emana um perfume delicioso capaz de fortalecer e vivificar de maneira singular, tão logo uma pessoa se capacite a senti-lo conscientemente, dando-lhe atenção.

Trata-se de incontáveis fios, com múltiplas possibilidades de aproveitamento, e que se acham sempre prontos a baixar sobre aqueles lugares que mostrem anseio por eles.

 

Caso no movimento inferior apareça uma fagulha em qualquer lugar, evidenciando um anseio, um pedido ou um forte desejo, os fios de uma espécie igual estendem-se imediatamente em direção a essa fagulha, unindo-se magneticamente com ela, fortalecendo-a para que se torne mais luminosa e clara, e consequentemente afastando em sua volta rapidamente tudo o que é mais escuro e turvo. E quando a fagulha se inflama, tornando-se uma chama, queima todos os lugares que ainda ligam aquele fio grosso com as trevas ou com o mal, e por onde a fagulha procurou desenvolver-se. Por causa disso aquele fio grosso será rapidamente libertado de tudo que o segurava em baixo.

Mas somente desejos ou pedidos luminosos e puros podem obter ligação com os fios luminosos, continuamente suspensos acima do movimento que cerca constantemente uma alma humana ou uma criatura humana terrena. Desejos trevosos jamais encontrarão apoio aí, visto não poderem criar a ligação necessária.

 

 A ligação desses fios, provenientes do enteal, efetua-se para cada ser humano terreno através do invólucro ou corpo de matéria grosseira mediana, que se costuma chamar corpo astral. Este é adequadamente transpassado pelas irradiações da alma, em cada uma de suas manifestações. Se as manifestações da alma são de categoria escura, os fios luminosos que pendem sempre prontos não encontram nenhuma passagem para o auxílio. Somente quando há manifestações luminosas pode o corpo astral irradiar de tal forma, que se abre espontaneamente para aqueles fios vindos de cima e que são da mesma espécie que as respetivas manifestações da alma.

Assim, pois, esse corpo astral de matéria grosseira mediana é a verdadeira porta de ingresso e saída da alma. Na realidade, agem os citados fios, pois, no plano de matéria grosseira mediana, que denominamos plano astral, e atuam por meio dele, conforme a espécie de sua incandescência.

Imaginai bem tudo isso. É tão simples, e ao mesmo tempo tão seguro e justo, que é impossível qualquer pensamento ou desejo para o bem permanecer sem auxílio. Tudo é tão facilitado ao espírito humano. Demasiadamente fácil para que ele, em sua maneira esquisita, ainda saiba apreciar devidamente o valor que esses fenómenos merecem e encerram.

 

Contudo, para que em vossa capacidade de imaginação não fique nenhuma lacuna, quero mostrar-vos também a origem desses fios, do contrário considerá-los-íeis pendurados ainda no ar, o que é impossível, visto que nesta Criação tudo possui e tem de possuir um bem determinado ponto de origem, sem o qual não poderia existir.

Tais fios são as irradiações de muitos mediadores enteais, os quais, em sua atividade, ainda não se tornaram bem familiares para vós, mas que já eram bem conhecidos de povos antigos.

Assim como vós, na qualidade de espíritos humanos, deveis na Terra ser coletores e em seguida mediadores para a transmissão de todas as irradiações daqueles espíritos humanos, que mais amadurecidos do que vós se encontram em planos mais elevados da Criação, e os quais, por sua vez, fazem a mesma coisa em ligação com outros espíritos humanos ainda mais elevados, mais amadurecidos e mais luminosos, até que, finalmente, através disso se efetue a ligação com o Paraíso, onde os espíritos humanos perfeitos e completamente desenvolvidos desta Criação posterior vivem em alegre atividade e que, da mesma forma, têm contacto superior, através de uma cadeia de mediadores, com os mais perfeitos dos primordialmente criados no espiritual primordial; da mesma forma e em escala igual, acontece também com todos os enteais que atuam convosco auxiliando na Criação inteira, porém sempre meio degrau acima de vós.

 

O que nisso desenvolve atividade, em redor ou abaixo de vós, encontra-se em parte certamente também ligado a vós, porém não daquela mesma maneira. Atenhamo-nos primeiramente àqueles fios que eu mencionei.

Os fios são tão multilaterais, que nada existe onde o ser humano terreno, e também a alma já distanciada da Terra, não pudessem encontrar e receber ajuda, fortalecimento, consolo e apoio no momento em que o seu ansiar ou rogar por isso dispuserem de uma bem determinada força, no verdadeiro querer. Não antes, pois palavras formadas jamais conseguem sozinhas estabelecer a ligação. E nem qualquer pensamento fugaz.

Tem de ser um ardente, legítimo e verdadeiro anseio ou desejo, sem cálculo interesseiro, sem espera de recompensa, sem qualquer coisa aprendida que, contudo, nunca pode vir realmente do coração ou da alma, pois para isso a palavra terrena formada já ata forte demais. A palavra terrena apenas pode dar o rumo ao querer de uma alma, abrir uma estrada para o caminho por onde queira seguir a intuição, mas não deve nunca bastar por si como um todo.

Quando o ser humano não pode reunir os dois, a palavra com o seu querer, quando tem de pensar sobremodo, a fim de dar forma certa às suas palavras, então será melhor apenas orar e agradecer, ou rogar com a intuição, sem palavras! Então, certamente será mais puro! A palavra formada turva facilmente demais, restringindo cada intuição.

Será mais belo e também mais forte, se puderdes abandonar as vossas palavras e deixardes surgir em seu lugar apenas uma imagem espiritual, onde possais derramar o sentimento intuitivo grande e puro! Deveis experimentar o que vos seja mais fácil e que não vos restrinja.

[…]

Como tereis de envergonhar-vos, quando o reconhecimento chegar! Vós, seres humanos, sois absolutamente os únicos que não transmitem direito o recebido, e que neste caso também falharam completamente como mediadores, porque já faz muito tempo que não sois capazes de receber.

A tal respeito já não há muita coisa a dizer. Tristes se quedam todos os mediadores da entealidade, que estão em ligação convosco, ó seres humanos. Acusadoramente levantam os fios, que também a eles, através da utilização pelos seres humanos terrenos, deveriam trazer correntes recíprocas, as quais vivificam com o mais belo colorido a unilateralidade da irradiação isolada, deixando-a dessa maneira fortalecer-se e incandescer-se de modo mais poderoso e benfazejo ainda. Os fios secaram nas extremidades e definharam. Apenas aqueles mediadores que se encontram em ligação com animais, plantas e pedras ainda se mantém firmes e alegres, pois seus fios de irradiação estão esticados no circular da reciprocidade, através do dar e receber, que também tem de residir nisso, obedecendo alegremente à lei da Criação, gratos por ter sido dada a possibilidade para isso, no Amor Universal de Deus, que nisso se revela.

 

Por incentivardes o pensar erróneo, abristes um rasgão feio e prejudicial no quadro que mostra aquela parte do tecer da Criação, que está mui estreitamente ligada a vós. Desse modo espalhais coisas feias em redor de vós, seres humanos, por onde quer que estejais e andeis. Até onde vossos pensamentos puderam alcançar, lá destruístes a harmonia, e com isso a beleza e também a possibilidade do amadurecimento conforme as leis.

Muito tendes de responder e também expiar.

 

Abdruschin

 

Excerto da dissertação, “Fios de Luz sobre vós”, da obra “Mensagem do Graal” Na Luz da Verdade, volume III.

 

Leia a dissertação (31) em formato PDF, sem custos, ao descarregar o livro.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Mensagens

Calendário

Maio 2015

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31





Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Favoritos