Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Seres humanos ideais

por Círculo do Graal, em 02.11.13

Dissertação para leitura no próximo domingo (9.00 h – 10.00 h, TMG – Lisboa)

Queremos, no entanto, melhor dizer; seres humanos que querem ser ideais! Mas também aqui devem, antes de mais nada e bem cautelosamente, ser excluídos todos aqueles que assim se denominam ou que de bom grado permitem que sejam chamados, mas que não pertencem aos que querem ser ideais.

Trata-se da grande classe de pessoas de ambos os sexos, fracas e facilmente entusiasmáveis, às quais ainda se juntam as pessoas fantasiosas que nunca puderam aprender a dominar e a utilizar seus dons de maneira útil. Deverão ser excluídas igualmente aquelas que nunca estão contentes face às contingências do momento, motivando esse descontentamento o facto de serem mais ideais do que os demais, portanto, não ajustadas à sua época.

Encontramos aí ainda a massa dos assim chamados “incompreendidos” de ambos os sexos, constituídos na maior parte por moças e senhoras. Essa espécie de seres humanos se tem sempre na conta de serem incompreendidos. Isto é, falando bem claro, vivem na permanente ilusão de trazerem em si um tesouro de valores que a outra parte, com a qual no momento estão em ligação, não é capaz de reconhecer. Na realidade, todavia, em tais almas nem se acham ocultos tesouros, mas em lugar destes apenas uma fonte inesgotável de anseios desmedidos, jamais possíveis de serem satisfeitos.

 

Pode-se tranquilamente denominar todos os seres humanos assim chamados incompreendidos como pessoas “imprestáveis”, por se mostrarem deveras imprestáveis para a autêntica vida do presente, tendendo apenas para o irreal e para a leviandade. Sempre, porém, para aquilo que não se adapta a uma vida terrena sadia. O caminho de tais moças e senhoras eternamente incompreendidas, no entanto, vai ter, lamentavelmente, muitas vezes a uma vida que comumente se denomina “leviana”, imoral, porque somente querem deixar-se “consolar” com muito bom grado, muita facilidade e demasiada frequência, o que uma certa espécie de homens naturalmente conhece e se aproveita inescrupulosamente.

Justamente essas incompreendidas serão e permanecerão em todos os sentidos indignas de confiança. Julgam-se ideais, no entanto são totalmente sem valor, de modo que para uma pessoa sincera, que não nutre intenções baixas, seria melhor que saísse do caminho delas. Seria inútil prestar-lhes auxílio.

Aproximam-se-lhes também quase sempre só “consoladores” com más intenções, desencadeando-se aí mui rapidamente o efeito recíproco, pois no coração ou nos braços de um assim chamado consolador uma jovem incompreendida ou uma tal senhora, após poucos dias ou semanas, já se sentirá novamente “incompreendida” e estará desejosa por um novo estado de ser compreendida, porque nem sabe o que realmente quer.

 

A todos esses grupos imprestáveis se agrega, por fim, ainda, o grupo dos sonhadores inócuos! Inócuos aparentemente, como as crianças. A inocuidade de semelhante sonhador só existe em relação ao efeito contra ele próprio, contra a sua personalidade, não, porém, contra seu ambiente e todas as pessoas com as quais entra em contacto. Para muitos, um assim inócuo sonhador já atua diretamente pela conversa, como um veneno de ação lenta, corroendo, destruindo, pois ele é capaz de desviá-los da vida terrena normal e com isso sadia, com suas explanações de ideias, para conduzi-los ao reino daquilo que é impróprio, irreal para a existência terrena.

Note-se bem: eu não digo que um tal sonhador seja impuro ou mesmo ruim, ao contrário. Pode ele querer o melhor, mas sempre o desejará de modo irreal para a Terra, de praticabilidade impossível, e dessa forma não atua para a existência terrena de modo benéfico, mas sim dificultando, destruindo.

[…]

Na Terra o ser humano tem o dever de colocar como alvo o que para ele seja o mais alto alcançável e de esforçar-se com todas as forças para atingir esse alvo. Como ser humano! Isso exclui, de antemão, que se esforce tão só pela comida e a bebida como os animais, conforme infelizmente fazem tantas pessoas, ou que se deixe chicotear pelo raciocínio, a fim de adquirir grandeza ou celebridade puramente terrenas, sem visar aí, como finalidade principal, o bem geral e a elevação da humanidade. Todos esses valem para a Terra menos do que os animais, porque um animal, sempre e sem artifícios, é integralmente aquilo que deve ser, mesmo que sua finalidade sirva apenas para conservar alertas as criaturas, a fim de que não se estabeleça uma frouxidão perturbadora, podendo dela resultar, como consequência, a decadência e a decomposição, visto que o movimento na Criação permanece condição vital.

 

Estar alerta! O ser humano que realmente aspira por ideais é reconhecido, portanto, pelo seu afã de elevar as condições existentes na Terra, não acaso no sentido intelectivo de aumento e poder, mas sim no de enobrecimento!

Todas as suas ideias terão, contudo, a possibilidade de serem efetivadas na Terra, acarretando proveito, tanto para a pessoa individual como também para a comunidade, ao passo que as pessoas que apenas querem ser ideais se comprazem nas ideias, as quais são impossíveis de serem aproveitadas de modo prático numa vida terrena sadia, antes apenas se desviam dela, conduzindo para o mundo de sonhos, que acarreta o prejuízo de deixar sem aproveitamento o presente para o amadurecimento do seu espírito, que cada ser humano em seu vivenciar do presente deve formar e desenvolver.

Aqui também as pessoas com pensamentos ideais comunistas, no fundo das coisas, são nocivas à humanidade, porque a concretização dos mesmos só acarretaria algo de insano, apesar de, em seu modo de ver, quererem o bem. Assemelham-se a construtores que montam cuidadosamente na oficina uma casa para um outro local. Ela parece vistosa e bonita… na oficina. Mas transportada para o terreno verdadeiro, é pouco firme e torta, de modo que não pode ser habitada por ninguém, porque o chão é desigual e não foi possível nivelá-lo, apesar dos maiores trabalhos e esforços. Os construtores esqueceram-se de levar isso em conta. Não consideraram a avaliação certa do existente, essencial e inalterável para essa construção! Isso alguém que realmente aspira por ideais não faz!

 

As ideias comunistas não podem, em sua execução, crescer do solo, tampouco nele serem ancoradas ou aliás a ele ligadas, visto que esse solo, isto é, os seres humanos, a ele nem se ajustam! É demasiadamente desigual e assim permanecerá sempre, porque não é possível se conseguir um amadurecimento uniforme de todos os seres humanos na Terra.

Haverá sempre e sempre uma grande diferença nos respetivos amadurecimentos, porque espiritualmente os seres humanos, de modo individual, são e continuarão sendo personalidades totalmente distintas, que só poderão se desenvolver de maneira diferente, visto que dessas pessoas espirituais jamais deverá ser tirado o livre-arbítrio sobre si próprias!

Procurai agora reconhecer na Terra os seres humanos que verdadeiramente aspiram deveras por ideais, a fim de lhes auxiliardes em suas atuações, pois, construindo, somente propiciarão benefícios.

 

Abdruschin

                        

Excerto da Dissertação, “Seres humanos ideais”, da obra “Na Luz da Verdade - Mensagem do Graal”, volume II.

Leia a dissertação (Pág. 143) em formato PDF, sem custos, ao descarregar o livro.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Mensagens

Calendário

Novembro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930





Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Favoritos